Domingo, 16 de Maio de 2021 09:39
93 991516680
Pará Mestrado

Enfermeira que levou paciente em maca é aprovada na USP .

O curso é uma parceria da Universidade de São Paulo (USP) com a Universidade do Estado do Pará (UEPA), em Santarém.

19/04/2021 15h04
139
Por: Redação Xingu 230 Fonte: Dol/ diarioonline
Enfermeira que levou paciente em maca é aprovada na USP .

Quem não lembra da cena onde uma enfermeira ficou conhecida pelo episódio empurrando uma maca com uma paciente em tratamento da Covid-19 que estava no oxigênio pela rodovia BR-163, a Transamazônica, no sudoeste do Pará. , no sudoeste paraense? Então, Rebeka Fonseca, de 24 anos, precisou ter essa atitude após a ambulância ficar presa em um congestionamento e pela urgência em transferir o paciente que precisava de tratamento para a covid-19.

Eles deixaram o veículo e caminharam por cerca de 2 quilômetros por causa do congestionamento de caminhões no trecho próximo ao porto de Miritituba, distrito do município de Itaituba. As imagens ganharam repercussão no noticiário nacional e nas redes sociais, pelo entrave que os profissionais encontraram e pela disposição em ajudar o paciente. 

A enfermeira recebeu recentemente a notícia de que havia sido aceita no programa de mestrado da Universidade de São Paulo (USP), uma das universidades mais concorridas do Brasil. O anúncio veio durante plantão no hospital de Rurópolis, onde trabalha: "fiquei em choque", disse ela.

Rebeka aproveitou o período em que estava de férias para fazer projeto de pesquisa relacionado sobre perfil epidemiológico da Covid-19 em Rurópolis. 

VEJA TAMBÉM!

Covid-19: Butantan fabricará mais 5 milhões de vacinas 

Vacinação contra a Covid-19 continua em Belém e Ananindeua

Ela enfrentou três fases classificatórias, incluindo prova e entrevista, o resultado foi divulgado na última sexta-feira (16). A profissional disse que ficou em choque ao descobrir que havia sido selecionada. 

"No mesmo dia que voltei das minhas férias saiu o resultado. Eu estava de plantão e a secretária de saúde me mandou o resultado. Eu não estava acreditando, fiquei em choque. Todo mundo perguntava o que estava acontecendo e eu não conseguia falar", contou. 

Rebeka é formada há pouco mais de um ano, e ultimamente atua na linha de frente no combate a Covid-19. E foi com esse mesmo tema que apresentou o projeto para concorrer a uma das vagas do mestrado. 

Para que ela pudesse escrever seu projeto de pesquisa sobre o perfil epidemiológico da doença em Rurópolis, onde atua em unidades de saúde, precisou sair de férias. 

"Eu já estava pensando em parar para tentar novamente o mestrado, e escolhi minhas férias para março e fui ver a minha família em Monte Alegre. De lá eu fiz o projeto e as provas", disse. 

Rebeka chegou a duvidar do seu conhecimento e da capacidade de passar no mestrado de uma das melhores universidades públicas do Brasil, mas assim como peça fundamental e forte na luta contra a pandemia, não baixou a cabeça e foi à luta. 

"A gente nunca pensa que é capaz, eu não estava com esperanças porque eu via os currículos das demais pessoas que eram muito mais experientes. Eram poucas vagas, um processo seletivo muito difícil, mas eu passei", completou. 

O mestrado da USP no qual foi aprovada, é de Enfermagem na Atenção Primária em Saúde no Sistema Único de Saúde (SUS). O curso é uma iniciativa da Universidade de São Paulo (USP) com a Universidade do Estado do Pará (UEPA), em Santarém. 

A seleção foi destinada a profissionais inscritos no Conselho Regional de Enfermagem (COREN), com vínculo empregatício com o SUS e que atuam no âmbito da Atenção Primária em Saúde (APS) na região do 9º Centro Regional de Saúde do Pará, que integra 20 municípios. 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.