Segunda, 13 de Julho de 2020 14:51
93 991516680
Política Antes da posse

Após polêmica com currículo, Carlos Decotelli abre mão do Ministério da Educação

O professor Carlos Alberto Decotelli da Silva decidiu abrir mão da chefia do Ministério da Educação, antes mesmo de ser oficiamente empossado.

30/06/2020 17h04
31
Por: Redação Xingu 230 Fonte: Roma News
Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil
O presidente Jair Bolsonaro anunciou a nomeação há menos de uma semana, na quinta-feira, 25. Após a polêmica sobre títulos que ele diz possuir, desmentidos pelas instituições de ensino, a própria equipe do presidente o aconselhou a deixar o cargo.
 
Segundo disse o presidente Bolsonaro na noite da segunda-feira, 29, “por inadequações curriculares o professor vem enfrentando todas as formas de deslegitimação para o Ministério. O sr. Decotelli não pretende ser um problema para a sua pasta (Governo), bem como, está ciente de seu equívoco”.
 
Decotelli acumulou pelo menos cinco inconsistências na sua formação profissional. Um dia depois de ser anunciado para a Educação, na sexta, 26, Franco Bartolacci, reitor da Universidade Nacional do Rosário, da Argentina, negou que o professor tivesse obtido o título de “doutor” pela instituição. Na ocasião, Decotelli afirmou ter obtido os créditos do doutorado na Argentina, mas disse que não chegou a defender uma versão final da tese. Ele alterou o currículo na plataforma Lattes.
 
Já no sábado, 27, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) anunciou que iria apurar denúncias de que o novo ministro teria cometido plágio no trabalho apresentado em 2008 para a conclusão de um mestrado em Administração. Sobre a acusação, o agora ex-ministro negou qualquer tipo de cópia, e destacou que pode ter havido uma "distração" nas citações bibliográficas e revisão do texto.
 
Na segunda-feira, 29, a Universidade alemã de Wuppertal negou o pós-doutorado do professor pela instituição. Após a repercussão, Decotelli novamente atualizou o currículo na plataforma Lattes e excluiu a citação ao pós-doutorado. Segundo ele, a pesquisa foi concluída, apesar de não ter sido oficialmente considerada um título de pós-doutorado.
 
No início da tarde desta terça, 30, de acordo com o site O Antagonista, a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) revelou que Decotelli entrou em uma faculdade privada em 1973, por vestibular, transferiu-se para a UERJ em 1974 e acabou o curso de Ciências Econômicas em fevereiro de 1981. Ainda segundo o site, ele colou grau em 2002 e seu diploma em Ciências Econômicas só foi expedido em 2004. Na Lattes, o professor registrou que fez a graduação entre os anos de 1975-1980.
 
Além disso, também nesta terça, a FGV negou que o então ministro foi pesquisador ou professor da instituição. Porém, segundo a CNN, a professora Brigitte Wolf, da Universidade de Wuppertal, na Alemanha, disse que ele era conhecida por lá como professor da FGV.
 
O ex-ministro ocupava, até recentemente, o cargo de presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), vinculado ao MEC, responsável por executar parte das ações da pasta relacionadas à educação básica em apoio aos municípios, como alimentação e transporte escolar. Ele entrou no lugar de Abraham Weintraub, demitido no último dia 18, e foi o terceiro ministro a comandar o MEC desde o início do governo Bolsonaro.
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Altamira - PA
Atualizado às 14h43 - Fonte: Climatempo
33°
Nuvens esparsas

Mín. 22° Máx. 33°

37° Sensação
6 km/h Vento
59% Umidade do ar
80% (5mm) Chance de chuva
Amanhã (14/07)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 22° Máx. 33°

Sol, pancadas de chuva e trovoadas.
Quarta (15/07)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 22° Máx. 34°

Sol com algumas nuvens
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio