AbasteceAki 01
Crime

Hospital do Amor é alvo de crime de falsidade ideológica, em Altamira

Famílias denunciaram receber visitas de pessoas que se fizeram pssar por representantes do hospital

02/10/2019 10h29Atualizado há 2 semanas
Por: Karina Pinto
229
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

As primeiras denúncias começaram a chegar há uma semana, quando uma família residente do bairro Sudam, em Altamira, relatou ter recebido a visita de um casal, que se apresentou como representante do hospital. Com um discurso pronto, e convincente, os dois ofereceram vários produtos de saúde, como aparelhos para aferir pressão arterial e glicemia, e disseram que tudo era certificado pelo Ministério da Saúde, e pelo próprio Hospital do Amor.

Como os relatos foram aumentando, e novas denúncias surgiram, o hospital foi consultado pelo Xingu230, e a resposta foi preocupante. De acordo com os representantes do Hospital do Amor, de Barretos, nenhuma ação é realizada sem aa prévia divulgação, que em Altamira é feita por parceiros como o Sindicato Ruralista. Após essa etapa, um representante do hospital vem pessoalmente até o município, e com apoio da imprensa, torna pública as ações que serão implementadas nas cidades.

Diante das denúncias, o hospital divulgou uma nota, e se mostrou preocupado com a ação, que considerou criminosa. "O Hospital de Amor, novo nome do Hospital de Câncer de Barretos, vem a público esclarecer à população de Altamira e região, que não possui campanha de arrecadação financeira a domicílio e não tem parceria com o Ministério da Saúde com essa finalidade.

As pessoas que estão pedindo dinheiro em bairros de Altamira em nome do Hospital de Amor, dizendo que essa ação é uma campanha nacional, devem ser imediatamente denunciadas à polícia." Hospital de Amor

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários